Unicamp é ouvida na CPI de Maus-Tratos Contra Animais da Alesp

Feliciano Filho – Proteção Animal

Os deputados da CPI de Maus-Tratos Contra Animais da Assembleia Legislativa de SP ouviram hoje o professor Wagner Fávaro, do Instituto de Biologia da Unicamp, convocado para falar sobre o uso de animais naquela instituição que, junto com a USP e a Unesp, entregaram ofício ao governador alegando que não existem métodos substitutivos para todos os procedimentos usados no ensino.

O deputado estadual Feliciano Filho, presidente da CPI, perguntou ao professor quais procedimentos com animais no ensino da Unicamp não possuem métodos substitutivos. Ele alegou que seriam quatro procedimentos realizados em porcos e coelhos no curso de Medicina: drenagem de tórax, suturas de alças intestinais, abordagem de órgãos retroperitoniais para contenção de sangramentos e janela cardíaca para controle de ferimentos graves.

Em seguida, a professora Odete Miranda demonstrou que todos os quatro procedimentos já são feitos há dez anos na Faculdade de Medicina do ABC com cadáveres de animais eticamente adquiridos, isto é, mortos naturalmente e cedidos por hospitais veterinários.

Diante dessa prova incontestável de método substitutivo, o deputado pediu humildade aos técnicos da Unicamp para conhecerem esses procedimentos com cadáveres que são feitos tanto na USP há muitos anos, inclusive com premiação internacional à professora Júlia Matera que aperfeiçoou a técnica, quanto na Faculdade de Medicina do ABC e muitas outras.

O professor atendeu a solicitação do deputado e disse que irá visitar universidades para conhecer o método com cadáver de animal preservado a fim de transferir a técnica para a Unicamp.

Feliciano Filho ressaltou que os deputados da CPI ouvirão técnicos e formularão relatório a ser encaminhado ao Ministério Público: “Havendo método substitutivo, segundo a Lei 9.605, o uso de animais no ensino é crime. As universidades estaduais precisam adotar métodos sem o uso de cobaias e fazer a transição para um aprendizado muito mais eficiente e sem sofrimento animal”.

Além da Unicamp, a CPI de Maus-Tratos Contra Animais já ouviu também a USP. A convocação da Unesp, na data de ontem, não foi proveitosa porque o professor escolhido para representar a instituição alegou não ter conhecimento técnico para falar de métodos substitutivos no ensino. Os deputados pretendem convocar a Unesp para uma próxima reunião ainda sem data marcada. Outro tema da CPI é a caça ao javali, cuja investigação continua em andamento.

Veja também entrevista do deputado Feliciano Filho à TV Alesp acessando https://www.youtube.com/watch?v=80RQoXKsk5Q&feature=youtu.be



Translate