Feliciano quer proibir o uso de animais do CCZ em pesquisas científicas

Feliciano quer proibir o uso de animais do CCZ em pesquisas científicas

Tramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 583/09, de autoria do deputado estadual Feliciano Filho (PV-Campinas), que proíbe a entrega de animais capturados pelos Centros de Controle de Zoonoses, Canis Públicos e congêneres para instituições e centros de pesquisa em todo o Estado de São Paulo.

A iniciativa do parlamentar paulista visa impedir que um animal que já sofreu muito pelas ruas seja utilizado para experimentações científicas, inibindo que ele seja submetido a um sofrimento ainda maior. Além disso, o Projeto de Lei prevê a aplicação de multa de 500 UFESP´s (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo) aos infratores, o que corresponde neste ano a R$ 8.210,00 (oito mil, duzentos e dez reais), podendo ser aplicada em dobro caso ocorra reincidência.

Feliciano argumenta que não há necessidade do uso de animais para fins experimentais. “A maior prova de que este método é desnecessário é que após a FAPESP ter dado início a cobrança das cobaias, os experimentos se reduziram em mais de 50%”, constata.

Já existem manequins e softwares de computadores que substituem exemplarmente o uso de animais nas experiências. Com os métodos alternativos, inclusive, consegue-se uma maior homogeneidade nas respostas aos estímulos praticados pelos alunos. Muitos estudos mostram que a utilização de modelos plásticos traz inúmeras vantagens aos estudantes. As aulas práticas com animais vivos não proporcionam ao aluno o tempo necessário para adquirir suas habilidades motoras, o que não ocorre com modelos plásticos que podem ser utilizados indiscriminadamente durante o tempo necessário.

Atualmente o Projeto de Lei está na Comissão de Finanças e Orçamento da Assembleia Legislativa.



Traduzir