Feliciano Filho cria Comissão Antivivisseccionista

Feliciano Filho cria Comissão Antivivisseccionista

O Deputado Estadual Feliciano Filho (PEN-SP) lançou, na noite desta quarta-feira (19), a primeira Comissão Permanente Antivivisseccionista do país. O evento ocorreu na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) e contou com o apoio da Frente Parlamentar de Direitos dos Animais e de vários setores do movimento de defesa animal.

O propósito da comissão será defender os animais que são utilizados como cobaias e sofrem com torturas e crueldades inimagináveis, uma vez que são submetidos a testes ainda vivos, prática comum em universidades, pesquisas científicas e indústrias farmacêuticas e de cosméticos.

“Essa comissão será um fórum permanente de discussão dessa grave questão, mas também um espaço de ação. Não iremos apenas discutir, iremos agir para que essa prática horrenda e arcaica seja abolida,” afirmou Feliciano.

O auditório Paulo Kobayashi estava com sua capacidade máxima. Técnicos e especialistas antiviviseccionistas, protetores independentes, entidades de proteção e amantes dos animais compareceram a fim de apoiar a iniciativa de Feliciano, inédita no país. A seção foi aberta pelo deputado com um trecho do documentário “Não matarás”, produzido pelo Instituto Nina Rosa, que aborda a questão da vivissecção de uma maneira realista e chocante.

Além do deputado, que é o coordenador da Comissão, outros membros que compuseram foram a promotora pública Vânia Tuglio, o biólogo Sérgio Greiff, a ativista Nina Rosa, a Dra. Sonia Fonseca, do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e a Dra. Odete Miranda, médica da Faculdade de Medicina do ABC.

Um dos pontos de maior concordância foi que em toda a história mundial a vivissecção nunca foi necessária. Ainda mais atualmente, com toda a tecnologia existente. Existem vários métodos substitutivos que podem e devem ser utilizados para que se evite o sofrimento animal. Todo dia, milhares de animais ao redor do mundo são submetidos a enorme sofrimento em experiências que pretendem beneficiar a espécie humana. No entanto, os resultados são pífios.

Feliciano Filho ainda defendeu a criação de uma Secretaria Especial de Defesa Animal no estado de São Paulo, proposta que teve o apoio absoluto de todos os presentes.

Outra informação relevante levantada pela comissão, e pelos presentes, foi a necessidade de se rotular as embalagens de produtos que não testam em animais. O deputado lembrou que existe um Projeto de Lei de sua autoria (PL 479/2009), que está na ordem do dia na ALESP para ser votado e que regulamenta o direito de informação nos rótulos de produtos que contenham origem na comercialização de qualquer produto que contenha animal, componente animal ou que tenha sido elaborado através de método que utilize animal.

Ao final, o deputado comemorou mais essa vitória da proteção animal.“Essa reunião é apenas o primeiro passo nessa questão. Essa comissão, inédita no país, vai trabalhar duro para eliminar esse mal que assola os animais. Vamos conscientizar as pessoas que não podemos mais viver com esse tipo de crueldade,” finalizou Feliciano, no que foi muito aplaudido.



Traduzir