Feliciano entrevista delegado do caso do cãozinho baleado

Feliciano entrevista delegado do caso do cãozinho baleado

O deputado estadual Feliciano Filho esteve na 1ª delegacia de polícia de Hortolândia nesta quarta-feira (18) conversando com Fernando Bueno de Castro, delegado responsável pelo caso do cachorro baleado pelo agente penitenciário.

A delegacia abriu um inquérito para apurar os três crimes: maus tratos contra o animal, disparo de arma de fogo em via pública e as ameaças que o acusado estaria fazendo aos vizinhos. Acusado e testemunhas já foram intimados a depor e os superiores do agente penitenciário já foram notificados.

“Toda arma é registrada e nesse registro constam todos os seus dados,” afirmou o delegado. “Como o suspeito não fez nenhuma notificação de furto, se a perícia constatar que a arma utilizada foi de fato sua arma funcional, a situação fica delicada.” A arma do agente foi solicitada e está apreendida.

Para Feliciano, a situação do acusado se complica ainda mais: “No boletim de ocorrência ele ainda mentiu para a polícia, dizendo o cachorro não foi baleado, mas atropelado. É mentira, o cão não tem marcas de atropelamento e sim de tiros.”

O animal, resgatado pela União Protetora dos Animais (UPA) está se recuperando e já bebe água e se alimenta. Não se sabe ainda a gravidade das sequelas. Segundo a assessoria de imprensa da UPA, assim que o cãozinho estiver recuperado ele entrará pra o programa de adoção da entidade.

O caso completo você acompanha no Programa Planeta Bicho deste sábado, a partir das 12h30, na TVB/Record (apenas para a região de Campinas) ou a partir das 13h30 no site www.programaplanetabicho.com.br



Traduzir