Ação rápida barra volta da matança em Campinas

Ação rápida barra volta da matança em Campinas

Na noite da última quarta-feira, 16, foi votado na Câmara Municipal de Campinas um projeto de lei, de autoria da prefeitura, que buscava facilitar a matança na cidade. O projeto foi rejeitado pelos vereadores, graças à ação rápida do Deputado Feliciano, à articulação do vereador Vicente Carvalho e ao apoio dos protetores.

Segundo a Lei 12.886/2007, de autoria de Feliciano enquanto vereador, qualquer procedimento de eutanásia em cães e gatos recolhidos em Campinas precisa da autorização de dois veterinários, um do prefeitura e um indicado pela proteção animal.

A prefeitura, alegando que a lei condicionava sua ação à “chancela de terceiros”, enviou outro projeto, o PL 885/07, com a intenção de revogar a lei do Feliciano e trazer de volta a matança indiscriminada de animais a Campinas. Esse projeto tramitou silenciosamente por quatro anos, até ser posto em pauta esta semana.

Não fosse a ação coordenada do deputado, que ligou pessoalmente para os vereadores, e do vereador Vicente, que foi à tribuna e liderou a votação contrária ao projeto, a prefeitura teria conseguido um passe livre para voltar a matar.

“Mais uma vitória da proteção animal!” festejou Feliciano. “Felizmente o projeto foi derrubado, pois seria um retrocesso. A Lei Feliciano (12.916/08) já proíbe a matança em todos os municípios de São Paulo, já foi reproduzida em Pernambuco e no Rio Grande do Sul e está sendo copiada por vários outros Estados.”



Traduzir