banner site novo
banner site novo
banner 04 editado
banner 04 editado
banner 04 editado
banner 01 editado
banner 01 editado
banner 01 editado
DEPA
DEPA
DEPA

publicado em 28 de setembro de 2017

Semana de Conscientização dos Direitos dos Animais

Feliciano Filho*

A forma como tratamos os animais é um retrato do nosso grau de civilidade. Ao criar a Semana de Conscientização dos Direitos dos Animais, que acontece de 28 de setembro a 4 de outubro e faz parte do calendário de eventos oficial do Estado de SP, minha intenção foi estimular a reflexão da sociedade sobre as dores impostas sistematicamente aos animais, sejam eles domésticos, domesticados, silvestres ou exóticos.

Os animais são seres sencientes. Eles sentem amor, medo e angústia. Mas não podem se defender, não têm voz e nem a quem recorrer. Por isso que gostaria de ressaltar a importância da proteção animal e de todos que dedicam seu tempo, ou parte dele, a defender os direitos dos animais.

É um trabalho árduo, dispendioso e, muitas vezes, pouco reconhecido. Os protetores enfrentam um turbilhão de dificuldades como transporte para resgates, lares temporários, auxílio veterinário e medicamentos. Isso sem falar em seu incansável trabalho corpo a corpo de conscientização, mostrando a importância da castração, da posse responsável e de combate ao abandono e maus-tratos.

Por outro lado, mesmo tomando para si um trabalho que deveria ser do Poder Público, os protetores têm que enfrentar também o descaso de governantes míopes, que não alocam recursos para programas de castração, não dialogam com a proteção animal, dificultam a implantação de políticas públicas e chegam até a vetar emendas e legislações vitais para o bem-estar animal.

E há ainda um cenário mais obscuro por trás da violência cometida contra os animais. Recentes pesquisas comprovam que a crueldade cometida contra um animal está diretamente ligada a personalidades perigosas para a sociedade. Psicólogos, sociólogos e criminologistas constataram que a maior parte dos atos de crueldade cometidos intencionalmente contra animais precedem os atos de crueldade contra humanos. Segundo o FBI, 80% dos serial killers começam sua vida de crimes matando animais e quase todo lar onde há violência doméstica há também violência contra animais.

Ensinar a população a respeitar outras formas de vida e conscientizar sobre a existência de Leis que consideram crime os atos de crueldade contra os animais contribui para a formação de uma população mais atuante, consciente, responsável e solidária.

Conscientizar para os Direitos dos Animais é dever de todos nós.

* Feliciano Filho é vegetariano, ativista pelos direitos dos animais e deputado estadual.

Nome Completo (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu Depoimento