19369381_1389010344514647_152798619_o
19369381_1389010344514647_152798619_o
banner 01 editado
banner 01 editado
banner 01 editado
banner 03 editado
banner 03 editado
banner 03 editado
banner 04 editado
banner 04 editado
banner 04 editado

publicado em 22 de setembro de 2015

Feliciano participa de Fórum da Comissão de Bem-Estar Animal de Atibaia

A Comissão Permanente de Bem-Estar e Proteção Animal da Câmara de Atibaia (SP) realizou na quinta-feira passada (17) o Fórum que debateu a temática proteção animal. Mais de 80 pessoas prestigiaram o evento, que contou com duas palestras: uma com o deputado estadual Feliciano Filho e outra com a promotora de Justiça Eloísa Balizardo.

O deputado Feliciano focou a fala em projetos de lei que auxiliam no trabalho de proteção. Ele lembrou a dificuldade para aprovação de algumas propostas, como a Lei Feliciano (Lei Estadual 12.916/08), que proíbe a matança indiscriminada de cães e gatos nos canis municipais. Também falou que o tema tem relevância para toda a sociedade. “Projeções da USP mostram que até 2030 teremos mais cães e gatos que humanos no Brasil”, comentou.

A promotora Eloísa Balizardo é autora da ‘Cartilha de Defesa Animal’, publicada para informar ao cidadão as formas de levar ao conhecimento dos órgãos públicos denúncias de maus-tratos e de buscar junto a eles a proteção aos animais. A cartilha foi confeccionada pelo Ministério Público de São Paulo. Dra. Eloísa comentou na palestra que o MP é aliado da população e orientou os presentes sobre como agir em casos de maus tratos. Ela informou como levar a denúncia aos órgãos competentes e ainda destacou que os municípios que não têm uma política pública voltada à proteção animal são omissos. “É criminoso, é improbidade administrativa. Não ter uma política pública nesse sentido é sinônimo de dinheiro público mal gasto,” destacou.

Feliciano levantou ainda a questão da castração, que só funciona efetivamente junto com a identificação dos animais. “Só vamos ter menos problema com animais quando tivermos menos animais,” ressaltou, sugerindo que os animais sejam identificados nas campanhas de vacinação.

(fonte: Câmara Municipal da Estância de Atibaia)

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu Depoimento