banner site novo
banner site novo
banner 04 editado
banner 04 editado
banner 04 editado
banner 01 editado
banner 01 editado
banner 01 editado
DEPA
DEPA
DEPA

publicado em 22 de dezembro de 2015

Bom Prato adota Segunda Sem Carne

(“Quando apresentei meu projeto de Lei da Segunda Sem Carne, pensei justamente no quanto de sofrimento um ser vivo teve que passar para que aquele alimento chegasse até ali. Só na rede Bom Prato, isso significaria cerca de seis toneladas a menos de carne, o equivalente a 30 vacas adultas.

Se aprovarmos este projeto, conseguiremos uma boa diminuição na demanda de consumo de carne no Estado – e é uma ideia que pode se espalhar por todo o Brasil. A nossa esperança é que este projeto tenha o mesmo efeito da Lei Feliciano, que aprovamos primeiro em Campinas, depois em todo o Estado de São Paulo e, hoje, já é lei ou está tramitando em 17 estados.”

– Feliciano Filho)

A rede de restaurantes populares do governo paulista Bom Prato passa a fazer parte do movimento Segunda Sem Carne neste dia 14. A unidade de Santo Amaro será a primeira a ter o dia vegetariano, e o novo cardápio será gradualmente estendido às demais 49 a partir do mês que vem.

A ideia é servir refeições mais saudáveis e menos danosas ao ambiente.

O custo é o mesmo, segundo os responsáveis (Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado e Sociedade Vegetariana Brasileira).

Um “teste cego” –quando só comida vegetariana foi servida, sem que houvesse um aviso– foi aprovado por 90% dos frequentadores entrevistados.

Nos dois dias de teste, a “mistura” foi ora quibe vegetariano, ora carne moída de soja.

Frequentadores do Bom Prato durante um dos dias de “teste cego”, na unidade de Santo Amaro (Andressa Gama/Divulgação)
O cardápio desta segunda é composto por arroz, feijão, pão, farofa, salada de alface, quibe vegetal e seleta de legumes, com suco vermelho e banana.

“As refeições contribuirão para uma melhor saúde dos usuários do Bom Prato, já que as proteínas vegetais –como soja, feijões e outros alimentos– são vantajosas para evitar diabetes, hipertensão, obesidade e doenças cardiovasculares”, disse Camila Campos, nutricionista da Secretaria de Desenvolvimento Social, por meio de comunicado.

“As proteínas vegetais, por exemplo, não contêm colesterol e contêm menos sódio”, diz.

Para Mônica Buava, da Sociedade Vegetariana Brasileira, a medida ajudará a levar a um maior número de pessoas a percepção de que é possível ter uma “refeição farta, saborosa e nutritiva” sem carne. “Os benefícios para o meio ambiente são imensos, e essa medida simples e positiva salvará milhares de animais.”

O Bom Prato, com 22 unidades na capital paulista, outras oito na Grande São Paulo, cinco no litoral e 15 no interior, serve cerca de 82 mil refeições diárias. (Só a de Santo Amaro, situada à av. Mario Lopes Leão, 685, é responsável por 2.240 almoços todo dia)

O público-alvo da rede são pessoas de baixa renda. Contudo, não há a necessidade de cadastro ou comprovação para poder comer em alguma das unidades – é só pagar na hora e almoçar.

(Fonte: FOLHA/FOTO: Frequentadores do Bom Prato durante um dos dias de “teste cego”, na unidade de Santo Amaro – Andressa Gama/Divulgação)

Nome Completo (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu Depoimento