Gado brasileiro contaminado com antraz gera revolta e medo na Turquia

Gado brasileiro contaminado com antraz gera revolta e medo na Turquia

De acordo com o jornal Hurriyet Daily News, um dos principais da Turquia, autoridades acabaram de descobrir que 4 mil bois importados do Brasil para a Turquia e que estavam em uma fazenda no distrito de Gölbaşı, na capital Ankara, estão contaminados com antraz, uma doença altamente infecciosa e fatal, que já foi utilizada até como arma biológica.

Ativistas e parlamentares do Brasil e da Turquia vêm denunciando desde o final de 2017 a maratona de dor e crueldade sofrida por esses boizinhos em todo o trajeto entre os dois países, além das condições deploráveis dos navios de transporte, chamados de “navios da morte”.

“A viagem pode levar 18 dias, com menos de 1 metro quadrado pra cada boi. Alguns perdem os olhos por conta da amônia produzida pelo excesso de fezes, urina e vômito. Outros quebram a perna por conta do balanço. O calor no navio os cozinha vivos. As imagens estão aí como prova,” afirma o deputado Feliciano Filho, autor do PL 31, o PL dos Bois, que visa proibir o embarque de animais vivos para abate e que tem mobilizado a proteção animal e travado a Alesp por vários meses. “Não me admira que um ambiente desses acabe gerando doenças graves.”

Outros fazendeiros de Gölbaşı estão revoltados com o governo que permitiu a entrada dessses “animais infectados” no país, pois mesmos os que não receberam esses bois também estão sendo afetados. Todas as vendas de animais foram suspensas num raio de três quilômetros do distrito.

Um total de 3.959 boizinhos foram enviados do Brasil para a Turquia apenas na véspera do Festival do Sacrifício pelo Departamento de Carne e Leite da Turquia. Quando alguns desses animais morreram, equipes da Diretoria de Agricultura de Gölbaşı lançaram uma investigação para determinar a causa das mortes e descobriram traços de antraz. 60 animais foram sacrificados e a fazenda colocada em quarentena.

Ainda que o Departamento de Carne e Leite garanta que nenhuma carne da fazenda infectada foi vendida nos mercados locais, criadores da região afirmam que a doença só foi descoberta no segundo dia do Festival, quando muitos animais já haviam sido vendidos e abatidos.

Moradores, que perceberam a chegada dos bois uma semana antes, reclamam que os animais não deviam ter sido trazidos antes de terem sido testados para todo tipo de doenças. “São 10 mil animais nas fazendas da região,” afirmou o líder do vilarejo, Şener Karatay. “Os fazendeiros locais não podem vender por causa da quarentena e têm dívidas com a cooperativa do governo e com os bancos.”

Veterinários do Ministério já vacinaram 10.000 bois contra antraz nos arredores da fazenda afetada e o ministro determinou que fosse aberto um inquérito sobre o incidente em Gölbaşı.

Saiba mais sobre o PL 31, o PL dos Bois: http://felicianofilho.com.br/embarque-de-animais-vivos-uma-maratona-de-dor-e-crueldade/

Fonte



Translate