A Joaninha nos deixou

Amigos, ontem à noite saí da Assembleia e fui direto ao hospital, para visitar a nossa Joaninha. Fiquei com ela até às 23hs. Mesmo semi-inconsciente, parecia que sentia o nosso carinho. E foi realmente uma despedida, pois hoje, por volta das 6:30, me ligaram do hospital informando que ela não resistiu.

A Joaninha conviveu pouco tempo com a gente, mas de forma muito intensa, que vale por uma vida toda. Ela tinha uma forma de agir que cativava e marcava muito, desde brincar com a as patinhas na gente, de virar a carinha quando não gostava de algo, ao invés de dormir na caminha, ela gostava de dormir em uma caixa de papelão, com a barriguinha para cima. Foram 9 Meses de muito amor, carinho e especial convivência.

Encontrei-a em uma estrada de terra, com sua mãe pedindo socorro para ela. Após 20 dias do resgate, consegui doá-las. Iriam morar em um lugar maravilhoso, mas não quiseram: fugiram duas vezes e voltaram para o canil na minha chácara.

Na segunda vez, que voltaram, notei que ela queria me dizer algo!
Disse para ela, não vou mais doá-las, ficaremos juntos para sempre!

Quando levei-as para castrar, percebi que a Joaninha estava muito magra. Castrei apenas a mãe, Joana, e fiz exames na Joaninha -quando descobri por que a sua mãe pedia socorro… Ela tinha os rins deformados e assim demos início ao tratamento ao qual ela estava submetida até hoje.

Enterrei ela ao lado da Preta, que ela amava muito, e acredito que agora estão juntas e felizes.

Joaninha, “saudades e certeza do reencontro.” Fique com Deus.



Translate